sábado, 29 de março de 2008

É mais que um estado de espírito; antes de tudo, é uma opção!


Somos livres quando amamos a Vida. Amamos os outros,sem expectativas, sem vir-a-ser. Somos livres quando dizemos o que queremos, sem nada querer, somos livres... A liberdade são todas as possibilidades latentes, virtuais, da Vida-sendo.

Somos livres como o rio quando queremos e deixamos correr, tranqüilo, sereno, às vezes,furioso, fervoroso, o outro.

Deixamos, por amar. Por amar ser livre, ser o outro, sendo... Liberdade: direito pleno do Ser-vida. Liberdade, com asas, sem asas, sendo: celebração do acontecimento-aí, presente, instante: amor planejado, sem sê-lo, paradoxalmente, a espera, sem espera, do néon. Somos livres.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Ninguém disse que era fácil, Ninguém jamais disse que seria tão difícil assim. Eu estou indo de volta para o começo...


Come up to meet you, tell you
I'm sorryYou don't know how lovely you are
I had to find you, tell you I need you
And tell you I set you apart
Tell me your secrets, and ask me your questions
Oh let's go back to the start
Running in circles, coming up tails
Heads on a silence apart
Nobody said it was easy
It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Oh take me back to the start
I was just guessing at numbers and figures
Pulling the puzzles apart.
Questions of science, science and progress
Don't speak as loud as my heart.
So tell me you love me, come back and haunt me,
Oh, when I rush to the start
Running in circles, chasing in tailscoming back as we are.
Nobody said it was easy
It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy.
No one ever said it would be so hard
I'm going back to the start

domingo, 23 de março de 2008


Eu costumava carregar o peso do mundo
Agora tudo o que eu quero fazer
é abrir as minhas asas e voar
" Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos... Tudo perda de tempo.

Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoração ou seu desprezo.

O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia."

sexta-feira, 21 de março de 2008

A PESSOA CERTA... É SEMPRE A ERRADA


"Pensando bem em tudo o que a gente vê e vivencia e ouve e pensa, não existe uma pessoa certa pra gente. Existe uma pessoa que se você for parar pra pensar é, na verdade, a pessoa errada.

Porque a pessoa certa faz tudo certinho! Chega na hora certa, fala as coisas certas,faz as coisas certas, mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas. Aí é a hora de procurar a pessoa errada.

A pessoa errada te faz perder a cabeça, perder a hora, morrer de amor... A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurar que é pra na hora que vocês se encontrarem a entrega ser muito mais verdadeira. A pessoa errada, é na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa.

Essa pessoa vai te fazer chorar, mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas.Essa pessoa vai tirar seu sono. Essa pessoa talvez te magoe e depois te enche de mimos pedindo seu perdão. Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado, mas vai estar 100% da vida dela esperando você.Vai estar o tempo todo pensando em você.

A pessoa errada tem que aparecer pra todo mundo, porque a vida não é certa. Nada aqui é certo! O que é certo mesmo, é que temos que viver cada momento, cada segundo, amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo, querendo, conseguindo...

E só assim, é possível chegar àquele momento do dia em que a gente diz: "Graças à Deus deu tudo certo" quando na verdade, tudo o que Ele quer é que a gente encontre a pessoa errada pra que as coisas comecem a realmente funcionar direito pra gente..."

terça-feira, 18 de março de 2008

" Céu de Brasília, traço do arquiteto, gosto tanto dela assim..."

Ehhh saudade!!
Às vezes (e são muitas) me pego lembrando dessa cidade.
Sinto saudades do céu, das ruas, dos churrascos de domingo no clube, das missas de domingo na Igreja N.S. Consolata...
Saí sem me despedir, mas nunca esqueci!
Quem sabe um dia não volto para revê-la? Afinal, como todo mundo que passa por aí sabe, quem bebe dessa água... rsrs
"Adeus, Brasília, vou morrer de saudade..."

segunda-feira, 17 de março de 2008

A DOR QUE MAIS DÓI

"Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, dói. Bater a cabeça na quina da mesa, dói. Morder a língua, dói. Cólica, cárie e pedra no rim também doem.

Mas o que mais dói é saudade. Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.

Dói essas saudades todas. Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida.

Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o escritório e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno, não saber mais se ela continua pintando o cabelo de vermelho. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu, não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele ainda come o frango assado, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Coca-cola, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua surfando, se ela continua lhe amando.
Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ele está com outra, e ao mesmo tempo querer. É não querer saber se ela está feliz, e ao mesmo tempo querer. É não querer saber se ela está mais magra, se ele está mais belo.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim, doer."

quinta-feira, 13 de março de 2008


Abdico de todos os pensamentos que não sejam absolutamente felizes.
Eu abdico de tudo que me prende e me impede de voar.
Como o girassol, eu escolho seguir a luz.

Há que voar neste tempo, aonde?
Sem asas, sem avião, voar sem dúvidas:
já os passos passaram sem remédio,
não alçaram os pés do passageiro.

Há que voar a cada instante como
as águias as moscas e os dias,
há que vencer os olhos de Saturno
e estabelecer ali novos sinos.

Já não bastam sapatos nem caminhos,
já não servem a terra aos errantes,
já cruzaram a noite as raízes,
e tu aparecerás em outra estrela
determinadamente transitória
por fim em papoula convertida.

Pablo Neruda

quarta-feira, 12 de março de 2008

Renascer, a cada dia, mais humana!


Muitas vezes abrir mão da eternidade leva-nos inevitavelmente ao sofrimento. Entretanto, é melhor sentir dor, amor, frustração, ternura, decepção , carinho e cumplicidade do que passar uma eternidade sem tê-los.

Hoje decidi fazer algo novo. Decidi ouvir o som abafado do meu susurro e entender que algumas coisas são inexplicáveis e permanecerão para sempre imutáveis.

Meu coração rendeu-se ao silêncio e pude perceber que há muitas coisas que podem, e devem, ser lançadas no mar do esquecimento. Como consequência, essa atitude pode, e deve, mudar definitivamente a história da minha vida.

Olhei-me atentamente pela primeira vez e vi como realmente sou. Olhei-me sem hipocrisia, sem máscaras, sem desculpas, desnudei-me de mim mesma. Meu coração guiou-me a um encontro com a minha humanidade!

Pude perceber que tornar-me humana significa reconhecer que não sou perfeita, que sou passível de erros, que não preciso ter todas as respostas. Percebi que tenho deficiências, áreas de sombras, desejos ocultos... Fraquezas que não podem ser confessadas.

Rasguei-me por dentro ao confrontar-me com minha humanidade. Percebi que viver no contexto da eternidade significa considerar-se infalível, ser cheia de arrogância, achar-se acima do bem e do mal. Ser intolerante, julgar as pessoas por suas falhas... Não ser compassiva, chegar ao extremo na busca da perfeição.

Que preço alto a pagar!

Pois bem, decido pela minha humanidade. Cometerei erros, terei decepções, sofrerei, mas também serei mais tolerante, menos arrogante, mais compreensiva e saberei amar de uma maneira plena, livre de preconceitos.

Essa será minha eterna busca:
Morrer para mim mesma e procurar renascer, a cada dia, mais humana.

terça-feira, 11 de março de 2008

video

domingo, 9 de março de 2008

UMA BORBOLETA SAINDO DO CASULO

É assim que me sinto, agora. O inusitado sempre causa medo. Era por isso que tanta coisa ruim se arrastava... Dentro do casulo, apesar de apertado, havia uma falsa sensação de segurança. Na verdade, isso chama-se acomodação.

Assim como a borboleta, chegou a hora, até passou dela, de tomar a decisão de alçar vôos, viver a vida de forma diferente. Vê-la com outros olhos. Nunca me senti tão livre. Agora sou eu!

Sempre amei borboletas. Acho que no fundo tinha inveja e queria toda aquela liberdade, e apesar de tão delicadas, tão decididas e corajosas em saber bater as asas na hora em que o casulo não mais lhe era o lugar ideal.

Agora vou-me! Voarei sem medo e verei o que a vida me reserva.

Não mais uma lagarta no casulo. Agora, sim, uma borboleta!

sábado, 8 de março de 2008

Perdida neste mundo
Vou seguindo o caminho
Andando de encontro ao desconhecido
Apenas não posso ficar parada
Olhando o tempo passar com suas estações
E pensando nos caminhos que percorri
E que inúmeras vezes morri.
Estou buscando a terra prometida
Escondida por trás de seu olhar
Estou buscando novos horizontes
Silenciados dentro de seu coração.
Longe das turbulências
Percorrendo os jardins como o vento
Livre...tão livre
Ande ao meu lado através dos dias escuros
Pegue em minha mão e mostre
Que ainda há um sol brilhando por trás das densas nuvens
Que ainda há um caminho para ser seguido
As trevas impedem minha visão
Neste quarto escuro tudo parece interminável
Então, abra a janela de minha alma
E invada meus dias como as alvoradas quentes
Tudo que preciso é um lugar para descansar
Lábios para beijar, caminhos a trilhar
Sombras para lembrar que um dia andei entre as trevas
E que o brilho de seus olhos iluminara o percurso
Mas o amanhã é imprevisível
E quando avistamos um caminho
Desejamos seguir com todas as nossas forças
Mesmo que os infernos interiores ainda aqueçam nossas noites
E que as lembranças açoitem nossas almas
Precisamos correr riscos.

sexta-feira, 7 de março de 2008

"Não vos assemelheis, pois, a eles;
porque vosso Pai sabe o que vos é necessário,
antes de vós lho pedirdes."

quinta-feira, 6 de março de 2008

"Todas as famílias felizes são iguais.
As infelizes o são cada uma à sua maneira".
Tolstói